terça-feira, 20 de junho de 2017

O Carnaval de Capiba - "Madeira que cupim não rói"




https://www.youtube.com/watch?v=li4SgjHF3Ic


 Lourenço da Fonseca Barbosa, mais conhecido como Capiba (Surubim, 28 de outubro de 1904Recife, 31 de dezembro de 1997) foi um músico e compositor brasileiro. Tornou-se o mais conhecido compositor de frevos do Brasil.(...)
 





Biografia

Capiba nasceu em uma família de músicos (Severino Atanásio de Souza Barbosa, seu pai, foi maestro da banda municipal de Surubim[1]), e aos oito anos de idade já tocava trompa. Ainda pequeno mudou-se com a família para o estado da Paraíba. Lá, ainda criança trabalhava como músico pianista em cinemas.[2]
Chegou a jogar como zagueiro no Campinense Clube, porém abandonou os gramados e aos 20 anos de idade gravou seu primeiro disco com a valsa "Meu Destino".
Era torcedor declarado do Santa Cruz.
Com 26 anos de idade, mudou-se para o Recife. Aprovado em concurso, tornou-se funcionário do Banco do Brasil, o que lhe rendeu sustento financeiro e lhe deu tempo para se aprimorar como músico.
1934: consolidou-se como autor, vencendo uma disputa de músicas carnavalescas, com o frevo-canção É de amargar. Uma de suas obras mais conhecidas. 1938: termina o curso de Direito da Faculdade de Direito do Recife, mas nunca apanharia o diploma e nunca seguiu carreira. 1945: teve seu primeiro sucesso nacional com a canção Maria Betânia, gravada por Nelson Gonçalves, em 1945. 1950: funda a Jazz Band Acadêmica e, com Hermeto Pascoal e Sivuca, funda o trio "O Mundo Pegando Fogo".
Faleceu em 31 de dezembro de 1997, de infecção generalizada, depois de passar dez dias na UTI.[1][2]

Atuações

  • Fundador e diretor da orquestra Jazz Band Acadêmica e protagonista do primeiro galo da madrugada
  • Diretor do Teatro do Estudante e do Teatro Popular do Nordeste.

Obra

Capiba escreveu mais de 200 canções, em sua maioria de frevo, mas também de samba e música erudita. Várias são sempre lembradas nos carnavais de Pernambuco.
Também musicou poemas de Carlos Drummond de Andrade, Vinícius de Morais e outros poetas brasileiros.
Autor de mais de 200 canções, não apenas frevo, como também outros vários gêneros: de samba à música erudita. Entre os seus sucessos, estão: Maria Batânia (canção); A Mesma Rosa Amarela (samba); Serenata Suburbana (guarânia); Verde Mar de Navegar (maracatu) e vários outros. No gênero frevo, compôs mais de cem canções.[2]
Uma de suas canções carnavalescas mais famosas é É de Amargar. Ela foi vencedora de um festival de frevo em Pernambuco, em 1934. Entre outros prêmios, em 1967 conquistou o 5° lugar no Segundo Festival Internacional da Canção, com a música São os do Norte que Vêm.
Capiba produziu uma obra caudalosa, tanto gravada, quanto inédita (neste último item, estima-se que tenha deixado mais de quatro centenas de composições, entre frevos, peças eruditas).[3]

Parceiros

Capiba teve diversos parceiros nas suas composições. Alguns deles:

Algumas composições

  • Valsa Verde (1931) [4]
  • É de Tororó (1932)
  • É de Amargar (1934)
  • Quem Vai Pro Farol é o Bonde de Olinda (1937)
  • Guerreiro de Cambinda (1938)
  • Gosto de te Ver Cantando (1940)
  • Linda Flor da Madrugada (1941)
  • Quem Dera (1942)
  • Maria Betânia (1944)
  • Não Agüento Mais (1945)
  • Que Bom Vai Ser (1945)
  • E… Nada Mais (1947)
  • É Luanda (1949)
  • Olinda Cidade Eterna (1950)
  • Madeira que Cupim Não Roi (1963)

Capiba - Ai Se Eu Tivesse / Que É Que Eu Vou Dizer / Nos Cabelos de Rosinha / Modelos de Verão


https://www.youtube.com/watch?v=VioIJvzhFUI



INÍCIO 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...