sexta-feira, 28 de abril de 2017

Depoimento de Vandana Shiva O tempo e o modo - [RTP 2012]



https://www.youtube.com/watch?v=7G6c2QYf8e8 

 Publicado em 28 de abr de 2013
Descrição por "Victor Mendes 002 -- YouTube":

"Vandana Shiva alia a física quântica ao ativismo social para resistir
pacificamente a um sistema que considera ter colonizado a terra, a vida e
o espírito. Conta-nos como começou a defender a floresta, as sementes e
os modos de vida e produção locais contra o controlo e o registro de
patentes feitos pelas multinacionais.
A análise de Shiva vai mais além: remete-nos para as profundas implicações que o sistema
capitalista patriarcal tem na construção de um mundo desigual, com
consequências dramáticas, como a fome ou as alterações climáticas, que,
para Shiva, são sintomas de implosão de uma civilização que falha
material e espiritualmente. A nossa civilização, para sobreviver, terá
de rever o seu modelo de compreensão e de interação com o mundo, tendo
como exemplo o conhecimento holístico das civilizações chinesa e
indiana, que, para Shiva, sobreviveram à História essencialmente porque
diferem do Ocidente na relação que estabeleceram com a natureza.


 INÍCIO 

Trailer da série ‘Incertezas Críticas’



https://www.youtube.com/watch?v=H8rTNYxqsYY


Publicado em 19 de fev de 2017
Incertezas Críticas é a primeira temporada de uma série documental de televisão com intelectuais de renome internacional. O objetivo é apresentar questões contemporâneas relevantes sobre arte, política, livros, economia, relações internacionais, sociedade, história, futuro do Brasil e muito mais. São pequenos documentários de meia hora com um personagem principal e uma abordagem das questões fundamentais que ele tematiza em sua obra. Imagens inéditas de alguns dos principais centros do mundo (como Londres e Paris) ilustram a exposição das questões.
A série é produzida pela Grifa Filmes.
Os entrevistados dessa temporada são:
1. Noam Chomsky – um dos mais importantes intelectuais do mundo
2. Zygmunt Bauman – sociólogo polonês.
3. Alain Touraine – Um dos mais importantes sociólogos do mundo
4. Alberto Manguel – Um dos pensadores mais eruditos do mundo atual
5. Michel Maffesolli – Sociologo professor da Sorbonne (Paris Descartes) e do Instituto Universitário da França.
6. Dominique Moisi – Cientista político francês.
7. Tariq Ali – Escritor, roteirista e ativista paquistanês radicado em Londres.
8. Vandana Shiva – Ativista e feminista nascida na Índia.
9. Luiz Gonzaga Belluzzo – Economista brasileiro.
10. Mike Davis – Americano Professor do departamento de História da Universidade da Califórnia (UCI).
11. Robert Darnton – Historiador formado em Oxford, foi professor na Universidade de Princeton.
12. Richard Sennet – Sociólogo nascido nos Estados Unidos, que vive entre Nova York e Londres.
Sobre a produtora
Grifa Filmes, fundada em 1996 pelos irmãos Fernando e Maurício Dias, tem como foco de atuação a produção de projetos de alta qualidade para o mercado de televisão brasileiro e internacional. Especialista em grandes projetos e séries mundiais, tem seus títulos distribuídos nas mais importantes televisões do mundo, como Discovery, National Geographic, Fox, NHK, Arte, France 3, France 5, CBC, Record, TV Brasil, Multishow, GNT, entre outras.
Ficha técnica
2014, HD, 12 x 22′
Direção e Roteiro: Daniel Augusto
Exibição: TV Brasil (ainda inédito)
Filme realizado com o apoio do BNDES e FSA.

INÍCIO 

AS "REFORMAS" TRABALHISTA E DA PREVIDÊNCIA - #GREVEGERAL #FORAGOLPISTAS #BRASILVAIPARAR
















Lançamento do Manifesto Projeto Brasil Nação




https://www.youtube.com/watch?v=Rc-77TZFhM0

Transmitido ao vivo há 7 horas
Projeto Brasil Nação será lançado na quinta, em SP, com a presença de intelectuais, artistas e políticos
Intelectuais,
artistas, profissionais liberais, estudantes, lideranças políticas e
sociais lançam na quinta-feira, dia 27 de abril, o manifesto do Projeto
Brasil Nação, que já colheu mais de 7 mil assinaturas. O ato será às
18h, na faculdade de direito da USP, no Largo São Francisco, em São
Paulo.

O evento terá a participação de Luiz Carlos
Bresser-Pereira, Celso Amorim, Raduan Nassar, Fábio Konder Comparato,
Leda Paulani, entre muitos outros. Conta com o apoio do Centro Acadêmico
XI de Agosto.

O manifesto, cuja íntegra está em
www.bresserpereira.org.br, condena a destruição em curso no Brasil, os
ataques a direitos e conquistas sociais, a desnacionalização, o
desemprego, o esmagamento da indústria, o aumento da desigualdade.

“Privatizar
e desnacionalizar monopólios serve apenas para aumentar os ganhos de
rentistas nacionais e estrangeiros e endividar o país. O desmonte do
país só levará à dependência colonial e ao empobrecimento dos cidadãos,
minando qualquer projeto de desenvolvimento”, afirma o texto, que segue
recebendo adesões.

“Para voltar a crescer de forma consistente,
com inclusão e independência, temos que nos unir, reconstruir nossa
nação e definir um projeto nacional. Cabe a nós repensarmos o Brasil
para projetar o seu futuro – hoje bloqueado, fadado à extinção do
empresariado privado industrial e à miséria dos cidadãos”, defende o
documento.

Greve Geral já começou: movimentos de moradia ocupam terreno no centro de São Paulo contra as reformas de Temer.



https://www.facebook.com/jornalistaslivres/videos/520770418046840/?pnref=story




Jornalistas Livres fez uma transmissão ao vivo.
2 h ·
#AoVivo
Greve Geral já começou: movimentos de moradia ocupam terreno no centro de São Paulo contra as reformas de Temer. A Casa Aberta Praça de Todos é uma Ocupação Cultural que veio pra ficar.
O Abril Vermelho na Ladeira da Memória é uma iniciativa da Frente de Luta Por Moradia, Central de Movimentos Populares e coletivos de cultura.

Por Kátia Passos
41 mil visualizações
INÍCIO 

Google, Facebook e Amazon minam a democracia | Jornalistas Livres

*foto de Steve Rhodes / Flickr

Google, Facebook e Amazon minam a democracia | Jornalistas Livres

https://medium.com/jornalistas-livres/google-facebook-e-amazon-minam-a-democracia-jornalistas-livres-1cdf4b0233c8

Muitos de nós somos ativos no Facebook, usamos muitos dos recursos do Google (pesquisa, YouTube, calendário) e compramos os produtos da Amazon entregues em nossas portas. Mas em algum momento paramos para pensar sobre o enorme impacto que essas três empresas têm em nossas vidas e na nossa sociedade?
Jonathan Taplin refletiu bastante sobre esse tema. O resultado é um livro inovador, de leitura obrigatória, Move Fast and Break Things: How Facebook, Google and Amazon Cornered Culture and Undermined Democracy (1).
O livro conta a história de como a internet “foi sequestrada por um pequeno grupo de radicais de direita [liderados por Peter Thiel (2), partidário de Trump] para quem as ideias de democracia e descentralização eram uma maldição [um anátema]”.
Jonathan Taplin discute em seu livro as maneiras invisíveis pelas quais o cruel libertarianismo permeou o Vale do Silício e a Casa Branca.
A consequência é que a filosofia dominante do Vale do Silício se baseou fortemente na ideologia libertária radical de Ayn Rand (3). A Internet não é o produto de uma ideia cooperativa mítica qualquer, como o público pode imaginar. A opinião das pessoas foi formada a partir de uma ilusão de bondade, amplamente difundida e comercializada, cujo símbolo é o slogan do Google: “Não seja mau” (mudado para “Faça a Coisa Certa”, em 2015, no código de conduta do Google).
O resultado: “desde Rockefeller e J.P. Morgan não há tal concentração de riqueza e poder” nas mãos de tão poucos, de acordo com o livro de Taplin. “E as enormes fortunas sem precedentes criadas pela revolução digital têm influído fortemente no aumento da desigualdade nos Estados Unidos”.
As cinco maiores empresas do mundo (com base no valor de mercado) são Apple, Google (agora conhecido como Alphabet), Microsoft, Amazon e Facebook. Em termos de poder de monopólio, o Google detém 88% do mercado de publicidade em busca e pesquisa. O sistema operacional Android da Google tem 80% de participação de mercado global em sua categoria. A Amazon tem 70% do mercado de e-books (livros eletrônicos) e 51% dos produtos comprados on-line. O Facebook tem uma participação de 77% no total das mídias sociais móveis. Google e Facebook têm mais de 1 bilhão de clientes e a Amazon tem 350 milhões.
Como a “busca implacável de eficiência leva essas empresas a tratar todas as mídias como mercadoria (commodity), o valor real reside nos gigabytes de dados pessoais retirados de seu perfil à medida que você procura o mais recente videoclipe, artigo de notícia ou listicle, artigo publicado em forma de lista”, destaca Taplin.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

POR QUE O BRASIL AINDA NÃO DEU CERTO?- "O POVO BRASILEIRO" - livro de DARCY RIBEIRO

Obra disponível para download no grupo: https://www.facebook.com/groups/557711580977919/1250011308414606/
 
#DarcyRibeiro #BrasilFormaçãoSentido
O Brasil e os brasileiros, sua gestação como povo, é o que trataremos de reconstituir e compreender nos capítulos seguintes. Surgimos da confluência, do entrechoque e do caldeamento do invasor português com índios silvícolas e campineiros e com negros africanos, uns e outros aliciados como escravos.

Nessa confluência, que se dá sob a regência dos portugueses, matrizes raciais díspares, tradições culturais distintas, formações sociais defasadas se enfrentam e se fundem para dar lugar a um povo novo (Ribeiro 1970), num novo modelo de estruturação societária. Novo porque surge como uma etnia nacional, diferenciada culturalmente de suas matrizes formadoras, fortemente mestiçada, dinamizada por uma cultura sincrética e singularizada pela redefinição de traços culturais delas oriundos. Também novo porque se vê a si mesmo e é visto como uma gente nova, um novo gênero humano diferente de quantos existam. Povo novo, ainda, porque é um novo modelo de estruturação societária, que inaugura uma forma singular de organização sócio‐econômica, fundada num tipo renovado de escravismo e numa servidão continuada ao mercado mundial. Novo, inclusive, pela inverossímil alegria e espantosa vontade de felicidade, num povo tão sacrificado, que alenta e comove a todos os brasileiros.

Velho, porém, porque se viabiliza como um proletariado externo. Quer dizer, como um implante ultramarino da expansão européia que não existe para si mesmo, mas para gerar lucros exportáveis pelo exercício da função de provedor colonial de bens para o mercado mundial, através do desgaste da população que recruta no país ou importa.

O Povo Brasileiro - Darcy Ribeiro [1/10] ● Matriz Tupi



https://www.youtube.com/watch?v=wfCpd4ibH3c&list=PLyz4LUAInoJJgiAJBM-MqfA69gClLt1uz

INÍCIO 

Em Brasília indígenas em marcha começam uma das maiores manifestações dos povos da história do Brasil




https://www.facebook.com/radioyande/videos/1171888952920744/

Rádio Yandê com Anápuáka Muniz Tupinambá e outras 2 pessoas.
Em Brasília indígenas em marcha começam uma das maiores manifestações dos povos da história do Brasil
Manifestación de pueblos indígenas en Brasilia piden demarcación de sus territorios ancestrales 

Indigenous peoples march to Congress in Brazil and are received with tear gas and bombs by shock troops
Vídeo: Daiara Tukano
Correspondente Yandê
radioyande.com #demarcaçãoja #mobilizaçãoindigena #AbrilIndigena #DireitosIndigenas #Autodemarcação #indigenousrights #Brasil #protest #midiaoriginaria #midiaindigena
 
1,7 M visualizações

INÍCIO 

ICONOGRAFIA DA GREVE GERAL - #FORATEMER #FORAGOLPISTAS #BRASILVAIPARAR #28DEABRIL









Agrotóxicos y transgénicos: asalto a la salud y derechos humanos





http://www.etcgroup.org/es
  
Agrotóxicos y transgénicos: asalto a la salud y derechos humanos

http://www.etcgroup.org/es/content/agrotoxicos-y-transgenicos-asalto-la-salud-y-derechos-humanos

Por Silvia Ribeiro*

“¿Cómo puede alguien haber pensado alguna vez que cultivar nuestra comida con veneno era una buena idea?, preguntó Jane Goodall, antropóloga inglesa. A pocas décadas de su introducción, los agrotóxicos –llamados asépticamente plaguicidas para disimular su nocividad– han llegado a contaminar a la gran mayoría de la población mundial. Sea a través de residuos en alimentos –vegetales y animales– o por la contaminación de aguas, suelos y aire, los impactos en la salud y el ambiente han ido mucho más lejos que los lugares donde se aplican y la mayor parte son de larga duración.
Son algunas de las conclusiones del informe sobre plaguicidas (agrotóxicos) presentado a principios de 2017 por la relatora especial de Naciones Unidas sobre el derecho a la alimentación, redactado en colaboración con el relator especial sobre productos tóxicos. El reporte, presentado ante el Consejo de Derechos Humanos de la ONU, denuncia que el uso de agrotóxicos viola los derechos humanos de muchas formas, incluido el derecho a la alimentación, a la salud, al medio ambiente sano. Afecta especialmente a niños y mujeres embarazadas, además de trabajadores rurales, entre quienes también hay muchos niños, ya que 60 por ciento del trabajo infantil en el planeta es en labores rurales.
Notablemente, el informe señala que el supuesto fundamento para justificar el uso de plaguicidas –terminar con el hambre aumentando la producción agrícola– nunca se cumplió. Pese al aumento de la producción, el hambre persiste y el número de personas con deficiencias nutricionales aumentó dramáticamente, hechos vinculados al avance de la agricultura industrial, basada en monocultivos y transgénicos. Con los cultivos transgénicos tolerantes a herbicidas el uso de agrotóxicos aumentó además en forma exponencial en la última década.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...