quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Um erro não justifica o outro





eu era criança e meu pai sempre repetia esta frase: "um erro não justifica o outro". meu pai simplesmente dava-me lições de ética quase sempre. com o sistema ditatorial pelo qual passamos neste país, na época eu tinha 6 anos, era 1964, estudei do primário até a faculdade neste sistema injusto, cruel e desumano, assim como todos de minha época. eu estudei em escolas particulares no primário e ginasial, o que talvez tenha sido bem pior do que se fosse em escolas públicas.
atualmente querem mudar todo o sistema educacional no ensino médio, e como sempre, estas mudanças drásticas de falsos governos, representam caos irremediáveis e que provocam verdadeiras catástrofes na vida das pessoas. tenho a certeza de que os estudantes e as pessoas em geral, precisam adotar outros caminhos urgentes para conseguirem evoluir, e um deles é assumir de vez  os estudos pela  Internet e passarem a utilizar muito mais as bibliotecas, desde que os prefeitos não resolvam cobrar ingressos ... tentarei expressar aqui o que houve comigo ao sair da faculdade. era 1978, eu saia da Faculdade de Belas Artes de São Paulo, de um curso de 3 anos para ser professora de educação artística e desenho. uma turma de lá  comentou sobre um curso de introdução a filosofia ocidental em que um professor das Letras da USP iria ministrar numa escola de yoga perto da Av. Angélica, então, lá fomos nós, eu e mais umas 2 amigas e uns 2 amigos. ocorreu algo extraordinário, descobri o que era filosofia, e que era possível filosofar! nunca tinha estudado filosofia, nem no ensino médio e nem na faculdade, um enorme absurdo! assim como não tínhamos tido aulas sobre história da arte brasileira, nem sociologia...haviam alguns professores corajosos que tentaram romper a bestialidade da ditadura, um deles adotou um livro de Arnold Hauser chamado: História Social da Literatura e da Arte, e este foi o que mais marcou esta minha fase. foi cruel, foi vergonhoso ter passado por esta época ridícula, desumana, obscura... e hoje vemos estudantes de medicina, ou de engenharia, por exemplo, sendo formados de maneira capenga, sem terem a visão humanista e com isto saem das universidades parecendo mais fascistas do que outra coisa! enfim, viver num país como o Brasil é trágico!
meu filho estudou numa escola por uns 3 anos que era ligada a PUC SP, lá eles tinham filosofia desde o primário, o ensino fundamental, depois ele teve que mudar de escola porque mudamos de bairro, e aí a coisa piorou bem, porque a maioria das escolas privadas ou públicas ainda vivem no século retrasado ou na idade média.
as pessoas precisam entender que estudar é algo que se faz por toda a vida, até morrer.
precisam entender também que é na interação com outras pessoas que a gente mais evolui, na troca de conhecimentos, é como dizem, os milagres que um amigo pode nos proporcionar..., muito mais do que um familiar, porque aqui no Brasil se diz : "santo de casa não faz milagre", porque os mais novos acham muito chatas as mães, os irmãos... 
meu pai falava pouco, porém, esta frase aí do título marcou muito, quantos erros não teriam sido evitados se a classe política deste país não entrasse na onda de pensar, o outro roubou, eu também vou roubar, o outro aceitou propinas eu também vou aceitar... e assim... infinitamente os crimes contra o povo foram se avolumando, e extrapolando a nossa vã filosofia!

a coisa é trágica, a coisa fede demais, porque falta caráter, falta ética, abundam covardias, sobram injustiças, crimes enormes contra o povo.

nadia gal stabile - 16 02 2017



 http://www.contrainfo.com/17769/por-que-importa-ensenar-filosofia-ii-y-ultima-parte/



INÍCIO 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...