quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

SÓ MAIS UM TIJOLO



Pink Floyd com seu The Wall,
tem tudo a ver com a visão de educação
que descobri em 2005.

esta educação tradicional falida 
que já deveria ter sido enterrada
no século retrasado empesteia tudo

você é só mais um tijolo no muro,
seja nada, embarque no individualismo
e esqueça sua individualidade!
esqueça-se de quem é você,
esqueca-se de sua origem,
enterre tudo o que de vivo existe em você,
é melhor você seguir a boiada,
a massa de outros tijolos,
sua mesa de trabalho, não é sua,
é de todos, seu armário não é seu,
todos o usam, a forma como você 
se comunica é igualzinha a forma
dos outros, pelo tais aplicativos
que tem feito pessoas falarem 
sozinhas pelas ruas,
assemelhando-se a sonâmbulos...
não seja crítico, obedeça seus professores,
releve seus interesses,
jogue no lixo suas questões,
torne-se só mais um tijolo.


nadia gal stabile - 31 12 2014



MORRER MELHOR




morrer melhor não é morrer bem de vida
é morrer com olhos de lince
é morrer vendo a nua e crua realidade
é morrer tendo tido lucidez trilhões de vezes 
mais do que a maioria consegue ter

para a jovem de 20 e poucos anos, 
18 anos atrás é antigamente!
as feministas  da década de 60
se morreram, estão a revirar-se em seus túmulos
porque o pastor da igreja da esquina diz
que apanhar de marido bêbado 
é algo que as mulheres
precisam aceitar, pois elas se casaram sabendo
quem eram aqueles homens!
a época é cruel, a época é da escuridão,
mas não da escuridão dos Góticos ,
da escuridão da ignorância,
do falso politicamente correto,
da falsidade do não preconceito,
da escuridão desta legião de novos escravos,
que ignoram muitas coisas, ou tudo.

é preciso morrer melhor,
é preciso ver o que é invisível,
é preciso ouvir o que é inaldível,
é preciso saltar fora deste astral
sem cor, e com gosto amargo demais!

estamos numa nova Grande Depressão
travestida...
um lobo hiper selvagem em pele de cordeiro,
...é preciso morrer melhor.


nadia gal stabile - 31 12 2014





sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

QUE ARTE É ESTA?

entrar na dança, entrar na vida, a vida é para os raros, para os loucos, é para os que amam e dançam.

nadia gal stabile - 26 12 2014

 

Bolero de Ravel. A arte unindo gerações. Do Filme Retratos da Vida. (1980) (vídeo abaixo)




"E aqueles que foram vistos dançando foram julgados loucos por aqueles que não podiam ouvir a música." (Nietzsche)

“Como pode dizer que a vida lhe deu muito trabalho se você nem sequer sabe dançar?”Lobo da Estepe - Hermann Hesse




Bolero de Ravel. A arte unindo gerações. Do Filme Retratos da Vida. (1980) 

https://www.youtube.com/watch?v=mXo-ovx22nM


 

domingo, 14 de dezembro de 2014

FIREFOX - A WEB ABERTA - VOCÊ AJUDA A MOLDAR O FUTURO DA WEB

CLIQUE NO LINK E PARTICIPE:

https://www.mozilla.org/pt-BR/firefox/34.0/whatsnew/?oldversion=33.0




 LIBERDADE


APRENDIZAGEM


 ACESSIBILIDADE



CANSEI DE SER SEXY


https://www.youtube.com/watch?v=rA9F_v1-3p8

THE TOP 20 FULL SONGS OF CSS (CANSEI DE SER SEXY)



CRIOLO NO CIRCO VOADOR AO VIVO - SHOW COMPLETO


https://www.youtube.com/watch?v=QXWhAyzbhko


PINK FLOYD - THE ENDLESS RIVER (album completo)



https://www.youtube.com/watch?v=ADOQQiwgU0Y

SABOTAGE - O RAP É COMPROMISSO



https://www.youtube.com/watch?v=2tn28G0sU9E

SABER AMAR







Saber Amar

Os Paralamas do Sucesso

A crueldade de que se é capaz
Deixar pra trás os corações partidos
Contra as armas do ciúme tão mortais
A submissão às vezes é um abrigo

Saber amar
Saber deixar alguém te amar

Há quem não veja a onda onde ela está
E nada contra o rio
Todas as formas de se controlar alguém
Só trazem um amor vazio

Saber amar
Saber deixar alguém te amar

O amor te escapa entre os dedos
E o tempo escorre pelas mãos
O sol já vai se pôr no mar

Saber amar
Saber deixar alguém te amar

Há quem não veja a onda onde ela está
E nada contra o rio
Todas as formas de se controlar alguém
Só trazem um amor vazio


Saber amar
É saber deixar alguém te amar
Composição: Herbert Vianna ·

sábado, 13 de dezembro de 2014

INJUSTIÇA, VULNERABILIDADE, JOSÉ MARTÍ E LIBERDADE

 Darcy Ribeiro falava dos gabirus,(homem-gabiru), pessoas que desde antes nascerem, passam por situação de fome, situação de vida indigna, sub-humana.
Um povo cercado por vulnerabilidades, inculto (com educação escolar quase zero),
sem condições de saber decidir com o que se alimentar, ou torna-se obeso desnutrido, ou raquítico... desnutrido. Não sei se devo pedir desculpas sobre esta postagem, só sei que andei saindo mais de casa e vendo a dura realidade deste nosso povo, de nossos irmãos tão carentes de tantas coisas que para alguns sobram e poderiam estar a cooperar muito mais! Fim de ano, época que parece...o sentimento cristão aflora um pouco mais, então nos lembremos de Betinho (o irmão do Henfil, com seu projeto Ação da Cidadania contra a fome, e seu verdadeiro espírito cristão HUMANO!!

Aproveitemos este final de ano, para refletirmos sobre o sofrimento e as condições de injustiça total que grande parcela do povo brasileiro vem passando, tendo como causa a tal da globalização massificante, cruel e desprovida de humanidade.

Se ser cristão de verdade é ser humanizado, é ver as verdades e injustiças, e tentar cooperar para que possam ser reduzidas ou desaparecerem de vez, então sou cristã e não preciso ir à missas, ou beijar mãos de padres. 

Ser livre, transformar a revolta cega em luta real, sair da opressão que só causa equívocos brutais, são questões que muitos já filosofaram sobre e o que podemos fazer para cooperar, é pelo menos, conhecer o que tais pessoas escreveram e fizeram.

Lembro que o livro Pedagogia da Autonomia de Paulo Freire, era ou é adotado, listado em bibliografias para concursos de professores para a rede pública de ensino, acontece que antes deste livro, talvez, os professores(e todos nós) deveríamos ler os outros livros de Paulo Freire, um dos primeiros, ou o primeiro, Pedagogia do Oprimido, porque professor oprimido nunca poderá libertar alunos oprimidos! Mas não, as escolas, fazem de conta que a realidade não é o que flagrantemente mostra ser, e assim, continuaremos a ser este povo alienado, vulnerável, e retardado, infelizmente.

A seguir coloco frases de José Martí, um grande lutador pela liberdade!

Nadia Gal Stabile - 13 12 2014



A liberdade custa muito caro e temos ou de nos resignarmos a viver sem ela ou de nos decidirmos a pagar o seu preço.José Martí, 1853-1894






ALIMENTAÇÃO AO REDOR DO MUNDO EM 1 SEMANA
http://awebic.com/cultura/o-que-familias-ao-redor-mundo-comem-em-1-semana-resposta-e-surpreendente/






















veja mais em :
 http://www.portalimagenes.com/versos-de-amor-jose-marti/

HOAX OU NÃO

HOAX OU NÃO (HOAX = EMBUSTE,MENTIRA)
Se a notícia sobre a derrubada da Samauma milenar na Amazônia é falsa ou não, não me parece tão relevante, posto que outras tantas árvores são derrubadas sem piedade diariamente na Amazônia . (links enviados por Kalter >>> 

http://www.hoax-slayer.com/hoax-loggers-cut-down-oldest-tre… http://factually.gizmodo.com/loggers-didnt-c…/+seanhollister )

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

O Relatório da Comissão da Verdade



O Relatório da Comissão da Verdade

Carlos A. Lungarzo

Meu amigo Celso Lungaretti diz que gente demais está escrevendo sobre a CNV, mas espero que me desculpe porque foi justamente seu excelente artigo de ontem o que me moveu a escrever este. Ele indica, com muita precisão, que um dos problemas principais a resolver no futuro é derrogar a anistia que os carrascos se auto decretaram em 1979.

Em vários países, onde as ditaduras se auto “perdoaram”, antes de sair do governo (por exemplo, na Argentina em 1983), as leis de auto justificação foram abolidas no máximo um mês depois da assunção de governos formalmente democráticos. No Brasil foi onde se mostrou uma maior cumplicidade entre os algozes que saiam do poder e a politicagem civil que negociou com eles, incluindo a imensa maioria da classe jurídica, a mídia e os próprios políticos.

Após quase trinta anos de governos formalmente democráticos, a imagem da violenta repressão dos 21 anos anteriores, especialmente da primeira década, ficou parcialmente borrada. Esse enfraquecimento do sentimento anti golpista e anti ditatorial faz com que as novas gerações (e as que não são tão novas) nem sempre tenham uma clara dimensão do horror que significou o período militar. Por sua vez, essa lembrança ofuscada é responsável pela pouca capacidade da cidadania de reagir contra as ameaças de golpe (militar ou civil) que, desde outubro deste ano, se tornaram contínuas no país.

Reconheço que essas manifestações foram assistidas por apenas um pequeno grupo de sociopatas e delirantes, e que os anti golpistas reuniram milhares de pessoas, mas, ainda assim, isso é insuficiente para um país de 203 mi de habitantes, onde um golpe (seja civil ou militar) prejudicaria, pelo menos, 80% deles, incluídos os que, por ingenuidade ou confusão, premiaram os golpistas com seu voto.

Novamente coloco o exemplo da Argentina, não apenas porque é o que conheço melhor, mas porque foi acompanhado por quase todo ocidente. Assim, em abril de 1987, quando os militares se rebelaram contra o julgamento dos altos quadros da ditadura, as forças democráticas reuniram entre 800 mil e 1,2 mi de pessoas numa passeata que ocupou vários quilómetros ao redor da casa de governo.

Milhares de pacíficos civis pediam ao sinuoso presidente Alfonsín armas para se confrontar com as tropas que marchavam para Buenos Aires, o que nem mesmo foi escutado pelos políticos.

Sendo que as FFAA desse país foram derrotadas numa aventura militar no Atlântico Sul, o desprezo pelos militares não foi apenas demonstrado pela esquerda, que estava guiada por propostas humanitárias, mas também pela direita que, em nome do chauvinismo, repudiava a covardia dos militares (mas não sua sede de sangue).

(De passagem: Essa teria sido uma boa oportunidade para que o governo argentino fizesse como o de Costa Rica em 1947, e tentasse dissolver as FFAA, mas a covardia e oportunismo do Partido Radical, algo similar ao PBS brasileiro, não quis nem tentar. Bom, mas isso é outra história)

Voltando ao Brasil, não tenho a mínima dúvida que as décadas de cambalacho entre civis e militares e a falta de um verdadeiro processo civilizatório (lembre que, para os intelectuais romanos, civil, habitante das cidades, indicava o contrário de castra, nome para referir-se aos quarteis e seus habitantes) são responsáveis pela fragilidade de nossa atual democracia. Os militares ameaçaram ao governo, há alguns anos, com o que eles chamam “solidariedade militar” quando a milicada fez sarcasmo do assassinato de Vladimir Herzog, e isso provocou a renúncia de Viegas, o único ministro de defesa digno na história do país. Depois, não houve outras amostras tão grandes de ameaça, mas sempre pairou no ar a advertência de que as espadas estavam preparadas.

Mesmo assim, o perigo de um golpe armado não parece iminente, mas, com uma cidadania desmobilizada e conduzida com paternalismo, não poderia ser resistido, caso acontecesse.

É esse risco de que “a história se repita” o que exige que a lei de Anistia seja modificada, pois sabemos que a figura cunhada por Marx não se deve aplicar a golpes de estado: eles não se repetem como comédias. Eles são sempre tragédias.

Deve ficar absolutamente claro que, por pavoroso que seja um crime, nunca se justifica uma pena cruel, nem mesmo uma pena branda que só aspire à vingança social. De fato, salvo em poucos lugares (a Escandinávia, os Países Baixos e a República Checa), a lei se aplica sempre com espírito de retaliação, o que fica claro na palavra que todo mundo usa, seja de esquerda ou de direita: punição e seus derivados, punir, impunidade, etc. Punir significa “castigar” e este conceito tem, não apenas um fedor, mas também uma clara origem teológica.

O objetivo da execução penal não é punir ou castigar, mas evitar que o criminoso volte a cometer crimes, e, segundo o direito humanitário, favorecer sua transformação numa pessoa socialmente positiva. Há numerosos casos de crimes comuns, onde essa “redenção” do réu foi possível, mas quase não há democida, torturador ou autor de crimes contra a humanidade que haja manifestado remorso, salvo alguns pouquíssimos casos na África do Sul. Quanto aos quatro criminosos nazistas que se arrependeram antes de ser executados em Nuremberg, é impossível saber se eram sinceros. O temor a uma morte extremamente cruel pode ter criado pânico seguido de arrependimento. A crueldade típica do enforcamento foi potencializada pelo carrasco militar sargento John C. Woods (1911-1950) e de seu colaborador Joseph Malta, que encurtaram as cordas para que a morte não fosse por fratura, mas por asfixia, que era bem mais lenta.

Então, não vamos pedir que os torturadores e democidas dos anos 60-70 se arrependam, mas a reclusão de alguns deles pode ser necessária para desestimular, pelo menos em parte, novas intentonas. Sou consciente de que o problema é polêmico, mas não creio que nenhuma pessoa saudável e com uso de alguma forma de poder, deva ser dispensada de coação penal apenas por ter ultrapassado certa idade. Pode não fazer sentido deter a alguns generais que apenas conseguem andar e falar, mas muitos jovens militares e policiais dos anos 70 têm agora uma “terceira idade” saudável e poderiam engajar-se numa nova aventura. Vários militares que foram condenados a prisão na Argentina, cujas idades estão entre os 77 e 89 anos, afirmam que, se tivessem alguma chance, fariam tudo de novo, mas, segundo o general Bussi, “agora não deixaria ninguém vivo

Os julgamentos de Nuremberg, que sempre se lembram nestes casos, devem deixar uma lição que não é a de pessoas enforcadas. Esse trato desumano não é o responsável da erradicação do nazismo, porque apenas se imitou o que os mesmos nazistas faziam. (Em muitos casos, os crimes nazistas foram cometidos não com gás, mas com forca e até com guilhotina, que produzia uma morte mais rápida).

Aqueles juízos serviram para fazer pública a necessidade de que a Humanidade em seu conjunto reagisse contra a barbárie fascista. Nuremberg não vale porque enforcou a menos de 0,1% dos responsáveis de crimes de lesa humanidade. Se não tivesse enforcado ninguém, seu mérito seria igual ou maior. O que reduziu enormemente o poder do nazismo na Alemanha foi a mensagem de Nuremberg contra os crimes de lesa humanidade, e a destruição física das instituições fascistas.

Este último ponto é capital: o único seguro contra surtos fascistas é o desmonte das entidades que criaram e expandiram o fascismo. Se não, vejamos: entre os países totalmente fascistas, apenas a Alemanha e a Croácia tiveram o nazismo institucionalmente erradicado, no primeiro caso por ação dos aliados e a divisão do território germânico e no segundo caso pela ocupação da Iugoslávia pelos comunistas.

Observem que, nem na Espanha nem na Itália, o fascismo perdeu significativo poder. Continuou fazendo estragos até datas recentes, e talvez desapareça, se isso acontecer, apenas pela democratização do entorno em que esses países estão inseridos.

O Brasil está inserido num entorno diferente. América Latina é neo-colonial, escravocrata e militarista. Por tanto, se desejarmos um futuro de democracia e legitimidade, os crimes realmente apurados devem ser coibidos por meio de algum isolamento de seus autores, independente da idade.

Com efeito, devemos lembrar que o tempo transcorrido não é problema: outra lição importante de Nuremberg é que delitos de lesa humanidade não prescrevem.







quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Madeireiros ilegais derrubam a árvore mais antiga do mundo - Rondoniaovivo.com

Madeireiros ilegais derrubam a árvore mais antiga do mundo - Rondoniaovivo.com



 https://www.rondoniaovivo.com/noticias/madeireiros-ilegais-derrubam-a-arvore-mais-antiga-do-mundo/122262#.VImuCoVRhFo

*ver link : http://sarauxyz.blogspot.com.br/2014/12/hoax-ou-nao.html



A Samaúma tinha,
aproximadamente, mais de 5,800 anos de idade, estipulados a partir dos
seus anéis concêntricos e media cerca de 40 metros de cumprimento.


A árvore era uma figura
importante para as tribos nativas da região, gerações de aborígenes
viveram sob a árvore, que já era parte de sua própria cultura.


É o Espirito-Mãe da floresta, dessa árvore-espírito vinha a força vital de todos as coisas viventes. Eles destruíram  Aotlcp-Awak, eles trouxeram escuridão não apenas para nós, mas para todo o mundo, explicou o líder da tribo Matsés, Tahuactep.


Pesquisadores do local
acreditam que a derrubada foi intencional, para eles, os madeireiros
sabiam que estavam dentro da reserva indígena Matsés. Segundo
Anna Golding, a reserva é rica em óleo e gás
natural, o que leva a indústria energética a pressionar o governo há
vários anos para explorar a área.



ver postagem do dia 13 de dezembro de 2014 : 

 http://sarauxyz.blogspot.com.br/2014/12/hoax-ou-nao.html


*(postagem atualizada dia 13 12 2014)

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

o mosaico da catedral da sé e o diabo a quatro






...da avenida ipiranga entrou na são joão depois do largo paissandú aventurou-se na 24 de maio de lá ouviu beatles em frente o teatro municipal comeu um pastel no shopping light e numa bela tarde já estava atravessando o viaduto do chá virou a esquerda na líbero badaró mas antes se surpreendeu com as belas nuvens e os enfeites de natal nas janelas do prédio da prefeitura antigo banespa na líbero badaró entrou num prédio para ver um emprego salário ruim demais muita gente buscando ser escravizado por lá promessas de comissões só promessas... depois de ter passado por uma prova entrevista muito calor sem ar condicionado saiu e voltou a caminhar pelo centro velho da cidade de são paulo passou na farmácia lá na sé e com muito calor e cansada resolveu entrar na catedral da sé onde sentou-se bem ao lado deste belíssimo mosaico da avó de jesus cristo onde ela está com  virgem maria menina sua filha estava ocorrendo uma missa para comemorar o dia da imaculada conceição (8 de dezembro) o padre cantava e a missa acontecia todos se levantavam de seus bancos em alguns momentos mas ela ali permanecia sentada admirando o mosaico o teto da catedral  os vitrais o morador de rua que atraido pela cantoria do padre assim como ela entrou absorto naquele museu vivo e cheio de arte pensou a arte está além de deus nossa.... que descalabro diriam os fiéis e ela pensava um dia a religião irá e a arte ficará pensou também se a virgem maria conseguiria dar jeito neste país dar juizo a este povo pacato demais acomodado demais às injustiças e a total escravização empregatícia com carteira assinada e tudo com CLT VR VT VA auxílio creche convênios com escolas e universidades o diabo a quatro menos trabalho digno e salário justo.

nadia gal stabile - 09 12 2014



liberdade

outra coisa subversiva e marginal é a liberdade(além do prazer e do tesão  que já acabei de escrever) se você tiver o desplante de em qualquer situação ser você mesma e der asas as suas intuições e verdades você será vista como uma louca fugida do pinel.
ainda que todos te digam não ou que todos nem queiram te enxergar e que camisas de força tentem te barrar a liberdade te diz sim.

nadia gal stabile - 09 12 2014



tesão

 *garotos, não leiam o que escrevo.

o mundo é brochante a sociedade é cruel vendem livros infantis para meninos e para meninas segmentam o que nunca deveriam segmentar é que o tesão dos que vendem livros é reaça o tesão legítimo é subversivo sem ele o mundo não tem solução Roberto Freire tinha razão até publicou um livro com este título sem tesão não há solução
sem tesão você vira um zumbi sem tesão o mundo fica mais cinza mais poluído mais cheio de venenos sem tesão você passa sem sentir o que é a vida deixa de lutar pelas coisas que acredita deixa de ser para virar um trapo de gente individualista.

nadia gal stabile - 09 12 2014




prazer

o verdadeiro prazer é marginal não bate ponto e nem custa  muitos $$$$ dificilmente é encontrado em situações maçantes como cruzeiros  excursões ou parafernálias absurdas com todos os minutos e segundos teleguiados o verdadeiro prazer não marca hora não está listado em lugar algum e nem pode ser aprisionado assim como os passarinhos assim como a arte assim como o amor não pode ser programado agendado rotulado registrado ele acontece como o poema que foge do poeta e sai por ai a fazer o que bem quiser mas sempre com calma sempre quase invisível aos olhos dos que tentam aprisioná-lo e que ainda  pensam viver.

nadia gal stabile - 09 12 2014



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...